domingo, 7 de fevereiro de 2016


Parte 2  - A Estratégia do Rejuvenescimento




Sustentação de Peso. Um caso de “Mais é menos”
Primeiramente, um pouco de anatomia simples:
Uma junta é composta de dois ossos que se juntam para o propósito de movimento.
A extremidade de cada osso é coberta de uma substância amortecedora, conhecida como cartilagem. A cartilagem pode ser considerada parte do osso, porque está inerentemente ligada a ele. Mas é feita de uma substância diferente.
O osso é sólido. Não tem compressibilidade. A cartilagem, por outro lado, é semifluídica, 80% água, algo como uma geléia que é muito esponjosa.
A cartilagem executa duas funções vitais. Primeiro, ela absorve o choque da compressão, quando qualquer espécie de peso é colocado sobre a junta. As juntas do joelho, cintura e tornozelo passam por tal compressão, quando você anda ou corre, mas também quando você simplesmente fica de pé. Segundo, a cartilagem secreta um lubrificante sempre que é espremida por alguma força compressora. É esse óleo que lubrifica a junta e permite que as duas partes movam juntas sem causar dano, desgaste ou dor. Esse líquido é contido em uma cápsula, algo como um recipiente de borracha, que envolve a junta.
Quando a compressão para, a cartilagem expande e suga o fluido de volta, como uma esponja comprimida em água retorna ao seu formato normal. Essa ação de compressão e relaxamento é o que mantém a cartilagem saudável.
É a cartilagem e o lubrificante secretado por ela que faz com que as juntas funcionem rapidamente e sem dor. Sem eles dois, teríamos um osso raspando com o outro, uma circunstância dolorosa inimaginável.
Ao envelhecermos, contudo, a cartilagem começa a se desgastar de várias maneiras. Primeiro, ela desidrata, como o resto do tecido. Segundo, ele desenvolve fraturas microscópicas – pequenas fendas não maiores que um fio de cabelo – muito devido à sustentação de peso. Esses rachadinhos tendem a enfraquecer a cartilagem e produzem outras rachaduras. Assim, a cartilagem vai secando e encolhendo com os anos e o contato entre os dois ossos começa a ficar áspero, em vez de suave como era antes. O processo é inevitável e irreversível; o truque é confinar isso a um mínimo e retardar seu índice.
A chave para esse resultado é quanto peso nós sustentamos e a maneira na qual o suportamos.
A sustentação de peso é inevitável. Não precisa ser nocivo. Pode ser desejável. Somente quando é excessivo é que se torna um problema.
Alguns anos atrás, eu tratei um homem em seus quarenta anos, que tinha um físico esplêndido, consequência de anos de levantamento diário de peso, usando pesoas em algumas vezes acima de 130 quilos. Ele não veio até mim porque estava tendo dores; ele estava preocupado porque, com os anos, ele tinha se tornado cada vez mais rijo. Depois de examiná-lo, descobri que a impressão dele estava correta; a sua coluna estava quase tão flexível como uma vara de bambu.
A coluna consiste de aproximadamente 30 vértebras, as quais são separadas por discos. Esses discos atuam como uma almofada protetora , assim como faz a cartilagem, e são na verdade uma forma de cartilagem. Ao se sujeitar constantemente os discos da coluna a pressões incomuns, este homem acabou tendo que o líquido dessa almofada fosse extraído deles, até que estavam a cerca de 20% do tamanho normal.
 Descrição da imagem: a cartilagem cobre as extremidades de todos os ossos, que formam as articulações (juntas). É feita de material esponjoso, atuando como uma esponja, absorvendo o choque e secretando um fluido que lubrifica as juntas. Ao passo que a pressão do peso espreme a cartilagem, o fluido sai e entra na junta.Quando a pressão do peso é aliviada, a cartilagem chupa o fluido de volta.

Quando você é jovem, você pode levantar pesos grandes e provavelmente vai conseguir, porque, nessa idade, todos os blocos de construção do seu corpo ainda estão intactos, em particular o bilhão de fibras com as quais nascemos. Aos trinta e cinco anos, contudo, você perdeu milhões dessas fibras através do atrito, e vai continuar a perder milhões destas fibras ao continuar a envelhecer. É como se o suportes da estrutura da sua casa  diminuíssem de largura com os anos; a casa não é mais tão sólida como já foi. A cartilagem é especialmente vulnerável após os trinta e cinco anos, como atesta meu paciente já descrito; sustentação de peso indevida vai espremer o fluido para fora dela, tão certamente como se você estivesse espremendo a esponja para sair a água.
O que se qualifica como “indevida”? Para um homem de altura média, trinta e cinco ou mais velho, seria qualquer peso maior que 56 kg. Homens e mulheres maiores poderiam levantar pesos maiores. A melhor medida é subjetiva:  Se doer, é pesado demais.
Essa regra se aplica, independente de idade, porque levantar quantidades de peso excessivas em qualquer idade é ruim para você.  Será pago um preço alto pelo benefício desejado.  A maioria das pessoas que se exercita com pesos o faz por razões estéticas: elas estão apenas preocupadas em se tornarem fortes. Há uma correlação entre força e tamanho dos músculos, mas até mesmo os fisicultores excedem, levando o corpo a enormes proporções que possuem mais força do que eles podem usar.
Não há dúvida de que os jovens estão abusando demais hoje com atividades extremamente fortes que vão criar potenciais problemas físicos futuros. Muitos terão que cortar as suas atividades pelo  resto da vida.

domingo, 24 de janeiro de 2016

The Rejuvenation Strategy - por René Cailliet

Parte 1

O problema de fazer exercícios vigorosos

Não há muito tempo, passei uma tarde em uma academia na zona oeste de Los Angeles. Embora, fosse durante horário de trabalho, o local estava cheio de homens e mulheres, na maioria em seus 20 , 30 anos. Todos os equipamentos estavam um uso constante. O que eu vi, me assustou. Nenhuma delas estava se exercitando de uma maneira que não colocasse algum perigo no seu corpo. Ao passo que se esforçavam para pegar pesos, eles quase que invariavelmente arqueavam as costas, um erro absoluto, que vamos explorar mais para a frente. Muitas vezes as pessoas arremessavam os pesos, um movimento que pode danificar os discos da coluna, assim como os músculos e ligamentos. E todos eles, sem exceção, apareciam aceitar sem questão a ideia central do sagrado mandamento do movimento fitness – se não está doendo, não está fazendo efeito.

O aliado dessa noção é o mito de que a repetição de qualquer exercício, aquele que você esforça o seu abdômen para executar, é aquele que te faz mais bem. Esse mito, como tantos outros associados à escola do fitness tortura, é um monte de bobagens. A verdade é que a primeira repetição de qualquer exercício é, pelo menos, tão benéfico como o último, e bem menos perigoso. Na 1ª repetição, os seus músculos estão descansados; na última, eles estão fatigados. O alimento armazenado vai gastando e os músculos ficam com acúmulos de ácido lático, a lixo resultante das contrações anteriores. Adicione a isso a maneira em que os fisicultores (bodybuilders) se esforçam para fazer essa última repetição, e aí temos uma condição clássica de sério dano no tecido corporal.

No chão dessa academia, havia vários homens e mulheres fazendo uma série de alongamentos supostamente benéficos, meia dúzia dos quais estava fazendo mais mal do que bem. A poucos passos dali, havia um quadro demonstrando como fazer os movimentos.

Cada manhã no meu caminho para o trabalho eu passo pela praia em Santa Monica (Califórnia), onde muitas pessoas correm (o popular jogging).

Do ponto de vista ortopédico, a maioria, dos que eu observei, não poderia fazer o jogging de maneira nenhuma. Para eles, danos sérios, talvez permanente, seriam inescapáveis.

De acordo com a minha experiência, 60 a 75% dos corredores vão acabar com problemas nas costas, cintura, pés e tornozelo, ou uma combinação de dois ou mais problemas. Um caso, que eu me lembro, foi de um corredor muito bem condicionado em seus cinquenta anos, que era também um excepcional atleta, um daqueles que fazem qualquer esporte com destreza. Sua grande paixão era esquiar, ao ponto que ele havia programado uma redução gradual na sua carga de exercícios a cada ano, para que ele pudesse esquiar na Europa, América do Norte e até mesmo na América do Sul. Quando ele estava financeiramente tranquilo para realizar esse sonho, ele desenvolveu uma condição tão severa e dolorosa no joelho – muito provavelmente pela corrida – ao ponto em que ele não poderia mais esquiar. Infelizmente, até mesmo os mais avançados procedimentos cirúrgicos, os não conseguiram restaurar o seu joelho para uma condição próxima do que era antes que a corrida o tenha arruinado.

O segundo caso envolvia uma linda mulher, que se aproximava dos cinquenta anos, magra, de bom corpo, ativa e dinâmica. Quando ela veio até mim devido a um problema de joelho, pedi a ela que parasse de correr e dei a ela uma série de exercícios. Mas o dano já estava muito extenso; seu joelho não respondia. Em visitas subsequentes, ela me disse que não conseguia mais dançar e subia e descia escadas com dificuldade.

Se estas duas pessoas não tivessem se exercitado tão vigorosamente no passado, eles poderiam ter evitado o problema que possuem hoje. Ambos são extremamente inteligentes; se eles tivesse recebido o menor aviso, eles poderiam ter ido mais leve para evitar um problema permanente. Mas em ambos os casos, o dano é insidioso, oculto. Por um longo tempo, você não sente nada, nenhuma dor, desconforto. Mas, gradualmente, as partes do corpo começam a se desgastar até que, de repente, o movimento fica difícil e doloroso e aí já é tarde demais para recuperar.

Um dos maiores problemas com o exercício vigoroso é precisamente esse: você não está ciente do dano que está criando até que o tenha criado. Ao contrário, todos os sinais dizem a você que está fazendo um grande favor a seu corpo. Quando está correndo, por exemplo, você se sente muito bem. Você se sente animado, sensação que diminui as próprias sensações feitas para acionar o alarme. Essa sensação de animação é uma resposta endócrina ao exercício, na qual as glândulas adrenais aumentam e secretam a substância igual à morfina. Em casos extremos, alguns corredores inveterados ficam literalmente viciados; eles se punem e abusam dos seus corpos para se livrarem do vício e obtêm o efeito que eles não podem conseguir de outra maneira legal. A série de exercícios é seguida por um tremendo senso de bem-estar e um aumento de energia. Sua aparência é melhor também, porque as pessoas que exercitam, brilham.

Não há dúvidas de que a corrida é benéfica para o sistema cardiovascular. Mas esse benefício tem de ser ponderado contra a profunda deterioração muscular e óssea que frequentemente ocasiona.

Há pessoas com muita sorte que são capazes de correr sem danificar o corpo. Mas essas pessoas são a minoria. A maioria de nós não vai conseguir.

Você pode ter mais de 35 anos e aparentemente não ter problemas, mas muitas vezes nem os raios X conseguem identificar deterioração na parte inferior das costas ( a famosa dor lombar inferior), nas articulações da cintura, joelhos e tornozelos.

Eu destaquei a corrida, por ser um dos mais populares exercícios. Mas os problemas que vamos discutir se aplicam a qualquer forma de exercício que faz um stress não natural nas juntas e tecido.

Há muitos problemas, mas basicamente eles se resumem a apenas dois.



MAIS NA PRÓXIMA SEMANA.


Depois de muito tempo, vamos voltar a postar.

Há um livro muito interessante, The Rejuvenation Strategy, de René Cailliet, uma dos maiores autoridades no que se refere à dor e reabilitação na coluna vertebral.
Existem muitos livros em português dele no Brasil, mas este jamais apareceu por aqui e é um grande alerta para os praticantes de exercícios físicos e que acabam minimizando os efeitos na coluna e articulações.
Vou colocar a tradução em pedaços no blog a partir desta semana.
Enquanto não aparecer algum aviso de copyright.



domingo, 12 de maio de 2013

Cientistas anunciam cura para cabelos brancos e vitiligo

Cientistas anunciam cura para cabelos brancos e vitiligo: Cientistas europeus afirmam ter encontrado uma forma de reverter o aparecimento dos cabelos brancos e até mesmo a perda de cabelo.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

O Jin Ji Du Li

"Jin Ji Du Li" - Uma prática para prevenir o envelhecimento e perda de memória.



Parece fácil, certo?

Faça este exercício da cultura chinesa simples e eficaz... e verá.

A essência é que seus olhos devem estar fechados quando 
 você pratica "Jin Ji Du Li" ... preste atenção.
  

Eis o exercício:

Fique sobre uma só perna, com os seus olhos abertos. É só isso. Experimente agora fechar os olhos.

Se você não for capaz de ficar em pé por pelo menos 10 segundos seguidos, isso significa que seu corpo se degenerou ao nível de 60 a 70 anos de idade. Em outras palavras, você pode ter apenas 40 anos de idade, mas seu corpo envelheceu muito mais rápido.

Ficar sobre um pé com os olhos abertos, é uma coisa e fazer o mesmo com os olhos fechados ... a história é outra!
  

Não precisa levantar muito a perna. Se os seus órgãos internos estão fora de sincronia, mesmo levantando a perna um pouco vai fazer você perder o seu equilíbrio.

Os chineses estão bem avançados no conhecimento do corpo humano.

A prática frequente e regular do "Jin Ji Du Li", pode ajudar a restaurar o sentido de equilíbrio.
  

Na verdade, os especialistas chineses sugerem que a prática diária por 1 minuto, ajuda a prevenir a demência.
Primeiramente, você pode tentar fechar os dois olhos, não completamente. Na verdade, é isso que o especialista de saúde Zhong Li Ba Ren recomenda.
  

A prática diária de Jin Ji Du Li, pode ajudar na cura de muitas doenças, tais como:
  

Hipertensão;
Altos níveis de açúcar no sangue ou diabetes;
O pescoço e doenças da coluna vertebral; também pode impedi-lo de sofrer de demência senil.

Zhong Li Ba Ren escreveu um livro intitulado:

"A auto-ajuda é melhor do que procurar ajuda dos médicos", um best-seller que também foi o melhor livro de saúde à venda na China desde que foi publicado pela primeira vez no ano passado.

Seu sucesso pode ser medido pelo fato que rendeu mais de 1 milhão de cópias vendidas.
Diz-se que de acordo com o entendimento de médicos chineses, a doença pode aparecer no corpo devido a problemas surgidos na coordenação entre os vários órgãos internos, o que faz com que o corpo perca o seu equilíbrio.

Jin Ji Du Li pode zerar esta inter-relação dos órgãos e como eles funcionam juntos.
Zhong Li Ba Ren disse que a maioria das pessoas não consegue ficar sobre um pé com os olhos fechados por 5 segundos, mas depois, praticando todos os dias, são capazes de fazer por mais de 2 minutos.

Quando você conseguir ficar mais tempo, a sensação de peso desaparece.
Ao praticar Jin Ji Du Li, você vai notar que sua qualidade do sono fica melhor, a mente limpa e melhora a memória significativamente.
A coisa mais importante é que se for praticado Jin Ji Du Li com os olhos fechados por 1 minuto todo dia, você não irá sofrer de demência senil (o que significa que o cérebro continuará saudável).
Zhong Li Ba Ren explicou que há seis meridianos principais que passam por entre as pernas.

Quando você ficar em uma perna, você sente dor devido ao exercício e, quando isso ocorre, os órgãos correspondentes a esses meridianos e suas formas começam a receber os ajustes necessários. Este método é capaz de se concentrar a consciência e canalizar o corpo até os pés.

Os efeitos benéficos da prática de Jin Ji Du Li em várias doenças como:a hipertensão, diabetes, pescoço e coluna vertebral,começarão a ser sentido rapidamente.

Problemas como a gota também poderá ser prevenido.
Cura doenças básicas como "Pés Frios" e também pode reforçar a imunidade do corpo.
Você não precisa esperar até que você tenha uma doença para começar a praticar Jin Ji Du Li.

É adequado para quase qualquer tipo de pessoa e especialmente benéfico em pessoas jovens, se praticadas diariamente, a probabilidade de adquirir problemas naturais da idade, será menor.
Não recomendado para pessoas cujas pernas são fracas e não podem ficar por longos períodos em pé.
  



domingo, 8 de abril de 2012

Frenologia


Frenologia
Frenologia (do Grego: φρήν, phrēn, "mente"; e λόγος, logos, "lógica ou estudo") é uma teoria que reivindica ser capaz de determinar o caráter, características da personalidade, e grau de criminalidade pela forma da cabeça (lendo "caroços ou protuberâncias"). Desenvolvido por médico alemãoFranz Joseph Gall por volta de 1800, e muito popular no século XIX.A Frenologia, contudo, contribuiu com a ciência médica com as ideias de que o cérebro é o órgão da mente e áreas específicas do cérebro estão relacionadas com determinadas funções do cérebro humano.

Princípios
Seus princípios eram que o cérebro é o órgão da mente, e essa mente tem um jogo de diferentes faculdades mentais e comportamento, cada sentido em particular tem sua representação em uma parte diferente do órgão ou cérebro. Estas áreas seriam proporcionais a cada indivíduo, dadas as propensões e importância da faculdade mental e personalidade, e o osso sobrejacente do crânio refletiria estas diferenças.

História
A tentativa de localizar os sentidos ou a personalidade dentro da cabeça remonta ao filósofo Aristóteles da Grécia antiga. No entanto, as primeiras tentativas cientíificas de medir o formato de um crânio e tentar estabelecer uma suposta relação com o caráter foram feitas pelo médico alemão Franz Joseph Gall (1758-1828), que é considerado o fundador e pai da Frenologia. Franz Joseph Gall foi um dos primeiros a considerar o cérebro como o lar de todas as atividades mentais.
Na apresentação a seu principal trabalho A Anatomia e Fisiologia do Sistema Nervoso em Geral, e do Cérebro em ParticularFranz Joseph Gall faz a seguinte declaração a respeito dos princípios em que ele baseou sua doutrina:
§  Que a moral e os sentidos intelectuais estejam inatos.
§  Que seu exercício ou manifestação depende da organização.
§  Que o cérebro é o órgão de todas as propensões, sentimentos e sentidos.
§  Que o cérebro é composto de muitos órgãos particulares como há propensões, sentimentos e sentidos que diferem essencialmente um do outro.
§  Que a forma da cabeça ou crânio representa a forma do cérebro, e assim reflete o desenvolvimento relativo dos órgãos do cérebro.
Estas declarações podem ser consideradas como as leis básicas que a Frenologia foi construída. Por observação cuidadosa e medidas experimentais extensas, Gall acreditava que tinha encontrado ligações entre os aspectos do caráter, em que chamou de faculdades, como sendo um órgão específico dentro do cérebro. O colaborador mais importante de Gall era Johann Spurzheim (1776-1832), que com êxito disseminou a frenologia no Reino Unido e os Estados Unidos. Spurzheim foi o responsável pela popularização do termo "Frenologia".
Fonte completa, veja em Wikipédia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Frenologia

Quero descobrir, por conta própria, o que a Frenologia pode ajudar nos dias de hoje, conforme primordialmente estabelecida por Joseph Gall. Tenho pesquisado alguns livros antigos sobre Frenologia, pois não se encontra nada atual sobre este assunto. 
Estou lendo um livro chamado Practical Phrenology, de Silas Jones, do ano de 1835. Vou colocar alguns fragmentos traduzidos deste livro nos próximos posts sobre Frenologia.

.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Vamos de Limonada!


QUE O LIMÃO É BOM NÃO HÁ  DÚVIDA. SE O QUE DIZEM AS PESQUISAS É VERDADE, MELHOR.
 
Tomar limonada como água todos os dias, acrescentando uma colherinha  de bicabornato é melhor.
O Limão (Citrus limonun Risso, Citrus limon (L.) Burm., Citrus  medica) é um produto milagroso para matar as células cancerosas. É  10.000 vezes mais forte do que a quimioterapia.
Por que isto não é divulgado?
Porque há organizações interessadas em encontrar uma versão  sintética que lhes permita obter lucros fabusosos. Mas, a partir de agora você pode ajudar um amigo que precise informando-lhe que deve
beber suco de limão com bicabornato de sódio para prevenir a  doença. Seu sabor é agradável. E, é claro, não produz os efeitos   terríveis da quimioterapia. E se você tiver lugar plante um pé de
limão no seu quintal ou jardim. Todas as partes da árvore são  úteis.
 
A próxima vez que você quiser beber um suco, peça ou faça-o de  limão natural, sem conservantes.
Quantas pessoas morrem, enquanto este segredo tem sido bem  guardado só para não colocar em risco as utilidades multi bilionárias de grandes corporações?
 
Como você bem sabe o limoeiro é uma árvore pequena e baixa. Não  ocupa muito espaço. É conhecido pelo nome de limoeiro, pé de  limão, lima (em alguns lugares), llimona (cat) limoiaritz (eusk).
É uma fruta cítrica que vem em diferentes formas. Sua polpa pode  ser consumida diretamente ou é usada normalmente para fazer bebidas,  sorvetes, doces e assim por diante.
 
O interesse desta planta é devido a seus fortes efeitos  anti-cancerígenos, e embora lhe sejam atribuidas muitas outras  propriedades, o mais interessante sobre ele é o efeito que produz
sobre os cistos e tumores. Esta planta é um remédio comprovado  contra o câncer de todos os tipos e o bicabornato vai mudar o ph do  seu organismo. alguns dizem que é de grande utilidade em todas as
formas de câncer.
 
É considerado também como um agente anti-microbiano de amplo  espectro contra infecções bacterianas e fungos que vivem em lugares  ácidos. Acrescentando bicarbonato de sódio em sua limonada você
altera o ph do seu organismo; é eficaz contra parasitas internos e  vermes, regula a pressão arterial elevada e é antidepressivo,  combate a tensão e os distúrbios nervosos.
 
A fonte desta informação é fascinante: ela vem de um dos maiores  fabricantes de remédios do mundo, que afirma que depois de mais de 20  testes de laboratório realizados desde 1970, ficou provado que o
extrato:
 
1 - Destroi as células malignas em 12 tipos de câncer,  incluindo câncer de cólon, de mama, de próstata, de pulmão e do  pâncreas ...
  
2  - Os compostos desta árvore mostraram atuar 10.000 vezes melhor, retardando o crescimento das células cancerosas do que a adriamicina, uma droga  quimioterápica,
normalmente utilizada no mundo.
 
3- E o que é ainda mais surpreendente: este tipo de terapia, com o  extrato do limão  e bicabornato, destrói apenas as células malignas do câncer e não afeta as  células saudáveis.
 
Instituto de Ciências da Saúde, L.L.C. 819 N. Charles Street  Baltimore, MD 1201.